ABDOMINOPLASTIA – Plástica do abdome

Vídeo explicativo

Folder informativo


Considerações Gerais

Corresponde a um conjunto de técnicas cirúrgicas para a correção das alterações da região abdominal.
A cirurgia plástica do abdome não deve ser considerada como uma cirurgia de emagrecimento. Este deve ser obtido através de dietas e tratamento adequados, com médicos especializados.
A abdominoplastia objetiva corrigir a flacidez que se instala no abdome, seja devido a emagrecimento acentuado, gravidez ou devido às características do próprio indivíduo.
Portanto, a abdominoplastia deve ser evitada em pacientes demasiadamente obesos, até que haja uma regularização do peso, através de dietas e tratamentos adequados.
Pessoas demasiadamente gordas obtêm resultado pouco satisfatório com a cirurgia. Nestes casos, a indicação cirúrgica poderá ser feita apenas por razões funcionais e higiênicas.
A abdominoplastia remove o excesso de pele e a gordura que lhe acompanha, além de corrigir a flacidez muscular que freqüentemente acompanha estas situações.
Se o paciente não se cuidar em termos de alimentação, principalmente, aquelas pessoas que têm tendência a engordar, a cirurgia terá um resultado muito passageiro.
Esta cirurgia não é perigosa, entretanto toda cirurgia tem seus riscos, porém eles são, de um modo geral, bem controlados. A cirurgia abdominal, não é nem mais nem menos sujeita a complicações que as demais cirurgias estéticas.
A cirurgia abdominal elimina estrias, mas somente aquelas situadas abaixo da cicatriz umbilical e isto porque é a pele desta região que será quase totalmente removida. Da mesma forma, qualquer cicatriz existente abaixo do umbigo, certamente será removida.
O umbigo é conservado em seu devido lugar.

 

DETALHES TÉCNICOS

Abdominoplastia Clássica:

geralmente indicada nos casos de grande flacidez de pele, gordura localizada de moderada a grande quantidade e afastamento dos músculos retos abdominais. Nesse caso o umbigo será refeito.
Miniabdominoplastia: geralmente indicada quando há pouca flacidez de pele, gordura localizada pequena a moderada e musculatura abdominal normal. O umbigo não será refeito.

Lipoabdominoplastia: indicados nos casos de acúmulo moderado a grande de pele e gordura com pouca flacidez muscular.
Em ambos casos pode-se associar lipoaspiração de flancos, dorso inferior e região do supra-umbelical para melhora do contorno corporal quando o abdômen é globoso. Pode-se ainda realizar lipoescultura para aumentar ou melhorar o contorno glúteo.

Tipo de anestesia: será esclarecida na consulta pré-anestesica com a equipe de anestesia.

 

Cuidados pré – operatórios:

Não tomar nenhuma medicação que contenha ácido acetil salicílico (AAS, Rhodal, Buferin, Aspirina, etc. ) 1 semana antes e após a cirurgia, porque aumenta o sangramento.
Evitar medicamentos para emagrecer por 15 dias antes da cirurgia.
Não fumar durante 30 dias antes e 30 dias após a cirurgia.
Parar com anticoncepcional ou reposição hormonal 30 dias antes da cirurgia.
O paciente deverá levar meias elásticas de média compressão ou anti-trombóticas ¾ (até o joelho) para serem usadas durante e após a cirurgia. As meias são importantes na prevenção da trombose venosa e devem ser usadas de rotina nesse tipo de cirurgia.

 

PRÉ-OPERATÓRIO

Logo após a cirurgia, o paciente voltará ao seu quarto, devendo ficar deitado de barriga para cima, com as pernas flexionadas e o tórax mais elevado. Isto visa relaxar a parede abdominal.
No dia seguinte, poderá levantar-se, com auxílio de alguém, para não forçar a região operada.
Se não sentir qualquer incômodo, poderá andar normalmente com o corpo curvado ligeiramente para frente.
Estando bem, poderá ter alta hospitalar no dia seguinte à cirurgia.
Durante três meses não poderá pegar peso, fazer maiores esforços, andar de salto alto e subir escadas. Peso é considerado o que tiver mais de 5 quilos.
Durante algum tempo (variável para cada pessoa) haverá uma dormência ou endurecimento da parede abdominal. Isso não é motivo de qualquer preocupação, pois com o tempo (geralmente de 3 a  6  meses) tudo estará normalizado.
Geralmente a cicatriz fica bem escondida, com o uso de calcinha ou biquíni.
Após um ano a cicatriz poderá se tornar bastante inaparente, dependendo das condições de cicatrização do paciente.

Dor: Geralmente a dor é muito discreta. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos comuns.
Curativos: A troca do curativo cirúrgico ocorre no dia seguinte após o banho pela equipe de enfermagem. Em casa, após o banho normal, realizará o curativo e secará a fita de micropore com secador de cabelo.
Cuidados com o Umbigo: Nas primeiras 24 horas o curativo do umbigo permanece fechado, após este período a equipe de enfermagem orientará sobre a limpeza do umbigo que consiste em  lavar normalmente durante o banho e após,  utilizar cotonete embebido em clorohexidine 0,5% (merthiolate incolor).

Alimentação: Normal, salvo em casos especiais que receberão orientação específica. Evite alimentos que preendam o intestino. Prefira alimentos que facilitem a evacuação, para não forçar a barriga no banheiro.

Banho: Banho de chuveiro no dia seguinte com sabonete anti-séptico (protex, soapex, proderm, etc.) conforme nossa orientação.
Equimoses: Poderá apresentar equimoses (roxos) que irão ser absorvidos dentro de 7 a 30 dias.

Edema (inchaço): Varia de paciente para paciente. Geralmente a região infra-umblical é a última a desinchar. Após 1 mês o abdome já apresenta-se menos edemaciado.
Posicionamentos: Logo a pós a cirurgia até 15 dias posicionar-se na cama com cabeceira eleva 45o e com apoio de travesseiro abaixo das pernas.

Modelador (malha ou cinta): O modelador deve ser usado dia e noite por um período de 90 dias, pois, além de dar uma sensação de conforto, evita o edema (inchaço) acentuado e permite que a pele faça uma aderência adequada.

Uma nova Gravidez: A abdminoplastia não impede que a paciente venha a ter filhos, todavia é o seu médico ginecologista que a informará sobre a conveniência ou não de uma nova gravidez. Quanto a parte estética, o ideal é que os filhos tenham sido programados antes da abdominoplastia. Em não sendo possível, e advindo uma nova gravidez, uma maneira de preservar o bom resultado obtido é controlar o peso adequadamente durante a nova gestação.

Sol: Não se expor ao sol por 60 dias.

Dirigir: Evitar esforço físico e dirigir após 45 dias.

Relação Sexual: Evitar relação sexual até 30 dias.

Drenagem Linfática: A drenagem linfática ajuda a diminuir o edema mais rapidamente e ao mesmo tempo ajuda a absorver as equimoses dando sensação de alívio e conforto.

Toda cirurgia apresenta um período próprio de recuperação. Dê tempo ao tempo que o seu organismo se encarregará de dissipar todos estes pequenos transtornos que infalivelmente chamarão a atenção de alguma pessoa estranha, que não se furtará à observação: “Será que isto vai desaparecer?”. É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte, poderá ser a nós transmitida. Daremos os esclarecimentos necessários para sua tranquilidade.

 

RESULTADO FINAL

No 1º e 2º mês ocorre um inchaço maior que dificulta ver o resultado. Após 6 a 12 meses é que a cicatrização se completa.
O resultado final é considerado após 12 meses da cirurgia, devido ao edema prolongado. Só, então, deverá ser feita a fotografia e avaliação final.

Qualquer dúvida contate nossa equipe.

Sociedade Brasileira de Cirurgia PlásticaFMBUPMCNew York UniversitySBACVUniversidade Estadual de LondrinaColégio Brasileiro de Cirurgiões